quinta-feira, 13 de março de 2014
Tá feliz com o Brasil?

MicoLeão

Esse ano promete! Quem dera que fosse coisa boa, mas acredito que só vem farofa por aí. Acabou o carnaval, daqui a pouco é a Copa (que o poderoso lá disse que não haveria pronunciamento oficial por causa da vaia na Copa das Confederações, que só ver o mico dessa Copa) e depois eleições (espero que ninguém se esqueça das parcerias da Dona Dilma com Cuba – medo).

 

1. Inflação

Também queria trazer a inflação de novo as vitrines,  parece que ela estava fora de moda. Como disse o economista Gustavo Franco, “a inflação é que nem alcoolismo, não tem cura, só controle”. Ele também afirmou que a inflação está sendo usada de forma distorcida, pois o governo busca não ultrapassar o limite da meta de 6,5%, só que o correto seria focar no centro da meta de 4,5%.

Como afimou, “O teto da meta é muito próximo de 10% e, se passarmos disso, ai é ladeira abaixo”. Outro ponto alarmante segundo ele, é que o Brasil está com semelhanças alarmantes com a Venezuela e Argentina. A diferença é que não tivemos coragem de prostituir o índice de inflação, mas que o Brasil fez isso com as questões fiscais. O nosso grande problema vai ser a dívida pública. Vale lembrar que a inflação na Venezuela está ao redor de 60% e que na Argentina, ninguém sabe.

 

2. Possível  corte de rating da S&P

Já expliquei o que é rating e como as agências de classificação de risco funcionam. O que está pegando é que o Brasil pode ter sua nota rebaixada. Pode ter não, grandes chances. Por que isso?  Porque o governo anunciou a meta fiscal de 1,9% do PIB para 2014 e segundo especialistas, o mínimo sensato seria de 2%. Nossa Vivi, 0,1% muda tanto? Muda sim!

 

3. Dólar em Alta

Para a tristeza das nossas compras internacionais, a expectativa é de o dólar siga em tendência de alta em relação ao real. Depois de aumentar 15,95% no ano passado, o sentimento de aversão ao futuro da economia brasileira, aliado aos sinais de recuperação das maiores economias do mundo que antes estavam em crise, colabora para que os investidores estrangeiros tirem o dinheiro do Brasil e busquem um local mais seguro.

De acordo com o Itaú Unibanco, a projeção é que o câmbio termine 2014 em R$2,55. Lembre-se que hoje a cotação está próxima de R$2,35.

Scared

4. Ciclo de alta da Selic

Já expliquei o que é Selic também, agora vamos entender o que está acontecendo com ela. Segundo especialistas, a taxa Selic deverá continuar em alta devido a preocupação com a inflação que está próxima do limite máximo da meta estipulada pelo governo.  Hoje a taxa encontra-se a 10,75% e há rumores que ela suba até 11,25% através de duas elevações de 0,25%.

 

5. Desaceleração da economia chinesa

Há uma redução na atividade industrial no país, o que indica que a economia chinesa ficará “de Lua“ esse ano.  Além disso, o crescimento anual da China desacelerou nos últimos meses, limitado a 7,7%.

E o que o Brasil tem a ver?  Com a queda do preço do minério de ferro refletiu no cenário econômico do país que divulgou queda nas exportações em fevereiro. Tudo isso impacta a nossa querida Vale, mineradora brasileira, que tem a China como principal destino de suas exportações.

 

6. Correção nas bolsas dos EUA

E beleza!  Os EUA tiveram uma valorização de mais de 20% em relação ao seu menor nível atingido durante o período de fortes quedas. Apesar de haver um otimismo em relação a Wall Street, há boatos de que haverá uma correção desse aumento. O motivo? Um estudo foi feito comparando a queda atual com a da crise de 1929 e houve um reajuste de pelo menos 10% nas bolsas americanas. Então vem queda na bolsa americana e quem recebe o solavanco é a gente aqui!!!

 

7. Risco de racionamento de água

Parece que até a natureza está se rebelando. São Pedro não está muito happy não. O volume de chuva em janeiro e fevereiro ficou em 54% e 39%, respectivamente, da média histórica. Resultado?  Alta probabilidade de racionamento.

 

E aí, tá feliz com o Brasil???

Tudo a ver...
quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014
Como a Tailândia mudou a minha vida

thaimari

Por Mari Garbelini

Choque de realidade define minhas últimas semanas na Tailândia. Movida pela curiosidade de conhecer mais instituições e causas, mudei para um projeto chamado Art Relief International, que visa transformar a vida de grupos minoritários por meio da arte. Todos os dias freqüentávamos de duas a três entidades realizando diferentes tipos de workshops organizados pelos voluntários.

Em escolas públicas, na cidade e em tribos, utilizamos a arte para expressar criatividade e estimular o trabalho em grupo. Tanto na Hope Home, instituição para crianças com paralisias sérias, quanto na Healing Family Foundation, instituição para adultos com autismo e síndrome de down, a arte serve como terapia. Na Thai Freedom House, que abriga refugiados de Burma, a arte os integra na sociedade tailandesa. Na Urban Light, que combate a exploração sexual de garotos em Chiang Mai, a arte é uma forma de refúgio para eles. E no Wildflower Home, abrigo onde trabalhei nas primeiras semanas, as mães solteiras transformam arte em subsistência.

marithai2

Cada uma das entidades e dos workshops me marcaram de formas diferentes. Cada criança e cada adulto com quem trabalhei fizeram alguma diferença no meu jeito de pensar e agir. Se eu mudei a vida de alguém eu não sei, mas que eles mudaram a minha, isso eu não tenho dúvidas. Não voltei para o Brasil com sensação de missão cumprida. A missão só está no começo. Mas esse meu breve período na Ásia aumentou ainda mais a minha vontade de verem as coisas mudarem! E agora é só fazer acontecer!!

“The People Who Are Crazy Enough to Think They Can Change the World Are the Ones Who Do.”

Para quem tiver interesse, seguem os sites das instituições citadas:

http://artrelief.net/ http://thaifreedomhouse.org/ http://www.urban-light.org/about_us http://www.wildflowerhome.net/ http://hopehomechiangmai.com/ http://www.hffcm.org/en/aboutus.php

 

MariGarbelini

 

Mari Garbelini

Formada em Direito pela Universidade de São Paulo e em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Contato: mari.garbelini@hotmail.com

Tudo a ver...
quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014
Aprendendo a Andar

Caminhar

Por Marina Figueiredo

 

Mude, mas comece devagar, porque a direção é mais importante que a velocidade”

É assim que a Clarice Lispector começa um de seus textos (ou um dos que lhe são atribuídos).

Pois bem, essa é a essência do que quero lhes contar hoje.

Você já deu o primeiro passo ao querer mudar e incluir a atividade física na sua rotina.

Agora, não adianta achar que você saíra correndo por aí de uma hora para outra. Se você começou a sentir uma dorzinha no baço, ou fez uma bolha no pé, não desanime. A corrida é um esporte muito democrático, porque ela dá chances a todos. Não interessa quanto você pesa, quanto você mede, qual a sua idade, se você tem ou não uma boa coordenação… Na corrida, todos têm a sua hora e a sua vez!

Se você ainda estiver saindo de um estilo de vida sedentário, seria bem importante começar pela caminhada. E, quando começar a sentir que a caminhada está fácil, você tem a opção de começar a correr. Mas claro que você não deve começar de repente. Pode começar intercalando corrida e caminhada. Como já dito, o importante agora não é a velocidade que você imprimirá nos seus passos, mas a direção que decidiu tomar rumo a uma vida mais ativa, mais saudável e, naturalmente, mais feliz.

Para começar a ser mais ativa/o, você pode incorporar alguns hábitos diários:

- passear mais com o seu cachorro (além de ser bom para ele/a, será um momento de movimento e relaxamento para você).

- optar por andar a pé até a padaria, locadora (opa, hoje em dia elas quase não existem!), salão de beleza, ou até ao trabalho, dependendo da distância.

- trocar o elevador pela escada – e ir andando se ela for rolante! (a não ser que, como eu, seu ortopedista tenha dito para evitar escadas, por conta da condromalácia patelar – comum em mulheres)

- reserve no seu fim de semana momentos para passeios que lhe tirem do sofá, da mesa da cozinha, ou da frente da geladeira; vá a parques, museus, faça compras caminhando…

A caminhada é uma exelente atividade! Acontece que para percorrermos uma mesma distância, podemos concluir a atividade mais rápido se estivermos correndo, de modo que, na vida corrida que levamos, a corrida começa a se fazer interessante… Mas, não adianta ter tanta ansiedade. É primordial consultar-se com um médico. É essencial utilizar um tênis apropriado para caminhada ou corrida. É importantíssimo aliar a atividade aeróbica com exercícios de fortalecimento, para que você não tenha lesões.

Vamos dar os primeiros passos rumo ao investimento na nossa saúde?

Obs.: Vivi, meu blog mudou de link! Segue o novo: http://www.porissoeucorrodemais.com.br

MarinaFigueiredo3

 

Marina Figueiredo

http://www.porissoeucorrodemais.com.br

FB: https://www.facebook.com/blogporissoeucorrodemais?fref=ts

Instagram: @marinabfig

Tudo a ver...
terça-feira, 28 de janeiro de 2014
Invista em você

MarinaFigueiredo

Por Marina Figueiredo

“Não existe almoço de graça” como diz o ditado.

Para qualquer atividade que resolvamos dar atenção, algum investimento inicial é necessário.

Se você ainda não tiver certeza de que irá se jogar na corrida, talvez seja o caso de investir um pouco menos, mas já é importante adquirir alguns materiais que agregarão valor a sua corrida e poderão, inclusive, lhe motivar a adotar essa vida mais saudável… afinal, a gente sempre se anima com presentinhos… Então, chegou a hora de nos presentearmos!

Fiz uma listinha de compras com itens básicos para quem quer começar a correr:

- tops

- shorts/bermudas

- camisetas sem manga, de manga curta, e de manga comprida

- tênis (específico para corrida)

- meias

- boné

- óculos de sol

- relógio com cronômetro (se puder já comprar um com GPS e frequencímetro, melhor)

- protetor solar (no rosto é quase obrigatório!)

- micropore (para colocar em regiões de atrito, como embaixo do elástico do top. Isso cada um vai descobrindo conforme vai aumentando a frequência de treinos e sua intensidade)

- vaselina (também para prevenir contra o atrito, por exemplo, passar nos pés para evitar bolhas)

Há uma série de coisinhas que, quando já estiver treinando, você pode sentir necessidade de comprar, mas listei aqui itens básicos para que possam começar. Há diversas marcas e modelos, e é importante que busquem materiais de qualidade, porque eles serão facilitadores para o seu bem estar e sua qualidade de vida. E investir em uma atividade física vale a pena, pois é um investimento para sua vida.

MarinaFigueiredo3

 

Marina Figueiredo

www.correndodemais.blogspot.com.br

FB: https://www.facebook.com/blogporissoeucorrodemais?fref=ts

Instagram: @marinabfig

Tudo a ver...
segunda-feira, 27 de janeiro de 2014
Thai: Fora da Zona de Conforto

ronaldthai

Entre as aulas de thai e as conversas com quem vive por aqui, pude aprender bastante sobre a cultura, a política e os costumes da Tailândia. Em alguns aspectos, os tailandeses se assemelham muito com os brasileiros: estão sempre atrasados, não sabem dizer não nem criticar, qualquer motivo é motivo pra festa, e estão sempre sorrindo, aconteça o que acontecer!

Aqui, a maioria da população é budista e bem religiosa, por isso raramente é necessário se preocupar com a violência, e é possível confiar em quase todos. Conversando com alguns monges (eles adoram treinar inglês com turistas), soube que eles podem ter consigo, no templo, apenas cinco objetos. Mas, como estamos no século 21, para muitos um dos objetos é um Iphone e não é difícil ver monges adicionando turistas no facebook!

O way, cumprimento tailandes, tem quatro níveis, e as mãos juntas levadas a cabeça variam de posição de acordo com o status da pessoa a ser cumprimentada. No topo da cadeia estão os monges, seguidos dos pais e professores, pessoas mais velhas ou mais importantes, e pessoas “com o status abaixo do seu”, por exemplo em restaurantes e lojas.

O rei é uma figura bastante respeitada e cultuada aqui, apesar de seu pouco peso político. Há fotos dele espalhadas por todas as cidades, e cada escola, casa, loja tem uma na parede. O dinheiro, que leva a foto do rei, deve ser tratado com o máximo de cuidado, não podendo ser rasgado, amassado ou jogado. No cinema, junto com o trailler, é passado um vídeo em homenagem ao rei, quando todos devem ficar de pé e cantar junto, uma das coisas mais engraçadas que vi por aqui!

Thai

E por falar em política, o clima anda tenso na Tailândia. Há manifestações por toda a parte, seja contra oua favor do governo. De um lado estão os “camisas preta”, que se dizem pró-democracia e desejam tirar o primeiro-ministro, Thaksin, do pode. Acontece que ele foi condenado por corrupção e crimes políticos e encontra-se asilado. No entanto, sua irmã governa a Tailândia, servindo de fantoche para Thaksin continuar a mandar e desmandar, tanto no Parlamento, quanto no Senado. Bangkok parou e foi decretada situação de calamidade pública. Chiang Mai ainda está tranquilo, já que a maioria dos que protestam são os “camisas vermelha”, pessoas mais simples e menos instruídas, que vivem nas fazendas ao redor da cidade, e são favoráveis ao governo de Thaksin.

Ou seja, esse meu primeiro mês vivendo na Tailândia me trouxe experiências incríveis, seja no meu trabalho, nas viagens ou no dia-a-dia. Ando mais desapegada das coisas materiais e dando mais valor a tudo o que tenho no Brasil. O lado de fora da zona de conforto pode trazer grandes e boas surpresas, é só dar o primeiro passo! :)

MariGarbelini

 

Mari Garbelini

Formada em Direito pela Universidade de São Paulo e em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Contato: mari.garbelini@hotmail.com

Tudo a ver...